Conhecimentos pedagógicos – Julio Groppa Aquino

mar 7, 2011 by

indisciplina Conhecimentos pedagógicos   Julio Groppa Aquino

Eu falo e você calam!

Julio Groppa Aquino é um grande pesquisador brasileiro sobre indisciplina na escola. Hoje a indisciplina escolar caracteriza-se como um sério problema discutido em todos os âmbitos educacionais. O professor Aquino, da faculdade de educação da USP, têm vários livros sobre indisciplina na escola publicados. Esses livros são geralmente cobrados em concursos públicos, o que faz com que seja bem importante entender o que esse pensador diz.

 

Uma forma bem interessante de entender o pensamento de um autor é assistir/ler/ouvir entrevistas com ele. Encontrei duas entrevistas que podem nos dar uma pequena ideia do que é defendido por Aquino: uma do Zero Hora , e outra do blog de Rosely Sayão.

 

Vou fazer aqui um resumo geral de um texto sobre indisciplina escolar de Aquino de 1997. O Texto tem uma linguagem simples e vocês podem acessá-lo, caso prefiram pegá-lo à unha. No final coloco um ebook com resumo completo do texto, ilustrado com mapas mentais.

 

A indisciplina na escola atual

 

O texto refere-se à uma versão ampliada do roteiro da vídeo/palestra “A indisciplina e a escola atual” de 1997 na FDE/SP da qual o professor fez parte.

 

O texto é uma explanação geral sobre indisciplina, Aquino defende que a indisciplina e o baixo aproveitamento escolar são impasses para a escola (claro que para a educação como um todo) no Brasil. Faz uma descrição detalhada do aluno problema e divide esse conceito em  três:

 

  • aluno “desrespeitador”
  • aluno “sem limites”
  • aluno “desinteressado”.

Em cada uma dessas denominações, o autor procura desconstruir as explicações mais comuns nos meios educacionais para a indisciplina, tais como “a estruturação escolar do passado, problemas psicológicos e sociais, a permissividade da família, o desinteresse pela escola, o apelo de outros meios de comunicação etc.”

 

Após essa desconstrução, em que usa argumentos muito contundentes, Aquino promove uma leitura pedagógica da indisciplina, propõe algumas premissas pedagógicas fundamentais  e as cinco regras éticas do trabalho docente.

 

Julio Groppa Aquino propõe

 

Aquino  propõe uma reflexão sobre a crise da educação, defendendo que todos sabemos da sua presença, pois observa-se que existe um mal estar geral em relação à educação, mas não sabemos a sua extensão nem a sua razão, pelo menos não a fundo.

 

Os indícios dessa crise podem ser analisados pelo fato de que os alunos não cumprem sua escolaridade obrigatória, a maioria das pessoas tem história de inadequação ou insucesso na escola e o os índices brasileiros de evasão e repetência serem semelhantes aos da Nigéria ou Sudão.

 

Com o que foi exposto acima, verificamos que existe, no Brasil, o fracasso escolar (alunos não terminam a escola) e o fracasso dos incluídos (alunos com história de insucesso). O Brasil, em relação à economia, pode ser comparado a países da Europa ou Ásia, enquanto em relação à educação a países da África.

 

Esses resultados geram um mal estar geral e a uma falta aguda de credibilidade no professor enquanto profissional. Aquino defende também que sem escola não há cidadania sustentável e o cidadão não tem acesso aos direitos constituídos, além do fato de que o mundo será implacável contra os sem escolaridade.

 

Ao descrever o aluno problema, Aquino diz que esse aluno padece de distúrbios pedagógicos, cognitivos ou comportamentais. Esses problemas geram os obstáculos da ação docente: a indisciplina e o baixo rendimento.

 

Segundo o autor, existe uma contradição quando se defende que o sucesso escolar seja fruto da ação docente e o fracasso escolar seja produto de outras instâncias. Ou tudo, tanto fracasso quanto sucesso, é fruto da ação docente, ou tudo fruto de outras instâncias.

 

Sem um papel bem definido torna-se inviável até mesmo o conceito de escola. Na entrevista ao Zero Hora, o autor diz: “Todos dizem que educar virou uma missão impossível. Então, fecha a bodega.” Dessa forma, temos um problema ético: seria o mesmo que dizer que o problema da medicina são as novas doenças.

 

O aluno problema deveria se configurar como uma oportunidade de crescimento profissional, pois é nas grandes adversidades que todo profissional desenvolve melhor suas habilidades. Precisamos rever nossos conceitos, procurando alternativas e não justificativas para a indisciplina escolar.

 

O autor encerra seu texto trazendo as premissas do trabalho pedagógico:

 

  • objeto de ação: conhecimento;
  • distinção entre papéis: professor e aluno;
  • contrato pedagógico explícito e
  • sala de aula: lugar onde a educação escolar acontece

 

E também as cinco regras éticas do trabalho docente:

 

  • aluno problema: porta voz das relações;
  • des-idealização do perfil de aluno;
  • fidelidade ao contrato pedagógico;
  • experimentação de novas regras de trabalho;
  • competência e prazer.

 

Resumo em forma de ebook

 

Abaixo você vai encontrar o resumo em forma de ebook, ilustrado com mapas mentais do texto “A indisciplina na escola atual” de Julio Groppa Aquino. Como as letras dos mapas ficaram pequena, aconselho que veja o ebook em tela cheia.

 

Vou adorar um comentário sobre o que achou.

 

  • Luciana

    Olá Rosana
    gosto muito do Aquino, suas declarações nos fazem refletir, deste texto que vc postou gostei muito deste parágrafo:
    "O aluno problema deveria se configurar como uma oportunidade de crescimento profissional, pois é nas grandes adversidades que todo profissional desenvolve melhor suas habilidades. Precisamos rever nossos conceitos, procurando alternativas e não justificativas para a indisciplina escolar."
    Realmente precisamos de alternativas, a escola precisa modificar suas práticas, pois a geração mudou e seus insteresses também.

    Luciana

  • Rosana Rogeri

    Oi, Luciana, concordo contigo. A escola é a mesma da Idade Média, mas os alunos são muito diferentes, e nós, professores, precisamos mesmo entender isso. É muito interessante como ele desconstrói todos os mitos que utilizamos como desculpas para os insucessos. Mas assim como ele acredito muito na nossa força criativa, acredito que juntos, sem concorrência, sabe? Juntos mesmo, para melhorar, pelo bem da educação, pelo orgulho de ser professor, nós podemos mais. Estou trabalhando com afinco em uma proposta pela união de professores que querem de ser melhores profissionais a cada dia.

  • shekremant

    sou de Catanduva, qual escola oferece curso preparatório para Legislação, autores e portugues?

    Poderia me indicar?

  • Rosana Rogeri

    Oi shekremant (fiquei sem saber se é homem ou mulher), em catanduva eu não conheço. Aqui em Rio Preto, eu ofereço um curso que vê esses conteúdos, tem uma diretora também, Maria Lúcia, que oferece cursos, mas não sei o contato e tem a Márcia http://marciafernandesconsultoria.blogspot.com. Tem uma empresa educative que anuncia no jornal também. Em algumas semanas vou disponibilizar um curso on line, pois para o presencial não tenho vagas, a Márcia oferece virtual também.

    Que eu conheço são esses, espero ter ajudado, abraços

Histórias de professor…